Michelin explica detalhes sobre danos acidentais

O QUE SÃO DANOS ACIDENTAIS?

São considerados danos acidentais aqueles provocados por agentes ou forças externas e que ocorrem durante o uso do pneu. Os danos acidentais mais frequentes são os cortes e os decorrentes de choques e impactos.

OS CORTES NO PNEU

Os cortes no pneu acontecem durante a rodagem e são provocados por objetos pontiagudos ou cortantes que deixam marcas claras e evidentes do seu causador. Podem atingir o interior do pneu e gerar uma perda de pressão ou podem ser superficiais sem perda de pressão.

Um corte pode não ter consequências imediatas no desempenho do pneu. No entanto, com os diversos movimentos e solicitações sob os quais o pneu é submetido ao longo da sua vida útil, o corte pode evoluir e provocar uma perda brusca de pressão e dificuldades no controle do veículo, aumentando-se o risco de acidentes. Em alguns casos, também pode provocar a oxidação das lonas do pneu, ocasionando a ruptura da estrutura interna.

DANOS CAUSADOS POR CHOQUES E IMPACTOS

Os danos causados por choques e impactos também acontecem durante a rodagem do pneu e se manifestam de forma instantânea, com ou sem perda da pressão. Eles se caracterizam por rupturas, estiramentos ou dobras provocados por um contato violento do pneu contra um obstáculo, como: buracos, guias, desníveis de pista entre outros. Podem se apresentar como uma deformação provocada por uma ruptura dos cabos internos da carcaça ou das lonas de topo, que não são visíveis externamente.

Vista interna do pneu. Dano ocasionado por choque, com o rompimento da lona carcaça em dois pontos distintos.

Dano provocado por choque com ruptura interna, não aparente, dos cabos da lona carcaça e sem perda imediata de pressão, ocasionando uma deformação no flanco.

Toda deformação no pneu deve ser examinada por um profissional especializado e, caso seja proveniente de um dano, o pneu deve ser retirado de uso imediatamente, pois esta deformação irá evoluir com o uso até provocar a perda instantânea da pressão e do controle do veículo.

O QUE FAZER PARA SE EVITAR DANOS ACIDENTAIS?

Um acidente é um evento aleatório, fortuito e imprevisível. Por isso, um acidente pode não ser evitado, mas podemos minimizar ou anular as suas consequências. A resistência do pneu a um determinado acidente pode ser aumentada com a utilização das pressões corretas, recomendadas pelo fabricante do veículo para as condições aos quais os pneus estarão submetidos quanto à carga, à posição, à velocidade ou o tipo de terreno.
Outros fatores como a velocidade e o tipo de condução também podem ajudar a diminuir as consequências dos danos acidentais nos pneus.

TODOS OS PNEUS REAGEM DA MESMA MANEIRA EM UM ACIDENTE?

Não. Cada pneu tem uma resistência diferente e existem produtos muito mais resistentes que outros. No desenvolvimento de um novo pneu a resistência contra danos acidentais pode ser aumentada com a adoção de reforços ou materiais mais resistentes e comprovada em testes específicos.

Um dos testes mais realizados pela imprensa especializada e pelos institutos independentes é o do choque do pneu, em uma velocidade constante, contra uma barra de 8 cm de altura inclinada a 30°. Este teste começa com uma velocidade de 30Km/h, no qual todos os pneus comparados resistem ao choque. Depois da primeira rodada, a velocidade é aumentada em 2,5 km/h a cada rodada, até o pneu não resistir ao choque e se deformar ou se romper.

Os testes realizados pelo Instituto Alemão TUV, com pneus das principais marcas compradas no mercado brasileiro, comprovaram a resistência superior dos pneus MICHELIN Energy XM2. Enquanto os pneus da concorrência apresentaram danos em média aos 31 km/h, os pneus Michelin resistiram mais e apresentaram apenas aos 35 km/h.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *