Confira a avaliação do Chevrolet Onix 1.4

O Chevrolet Onix 1.4 LTZ SPE/4 Eco Aut. 2017 foi avaliado pelo site Car Point News, por Marcelo Silva, com fotos de Marcus Lauria.
Ônix 1 blogEstar no topo é ao mesmo tempo agradável e desafiador. O campeão desfruta dos louros e do respeito merecido de quem trabalhou duro para chegar ali, mas no exato momento em que sua posição de destaque é alcançada, sua cabeça passa a valer mais, muito mais. Se o campeão não se reciclar e crescer, será derrotado. A Chevrolet fez o dever de casa e, na linha 2017, melhorou bastante o Onix, especialmente aonde os olhos não podem ver, de forma a garantir mais algum tempo na liderança.

A versão testada ocupa o topo da linha, e traz a mesma combinação de motor 1.4 8V e câmbio automático de 6 velocidades. Porém, conjunto idêntico não significa igual, e é aí que o Onix 2017 começa a defender seu cinturão. O motor 1.4 passou por modificações para ficar mais liso e econômico, adotando pistões e bielas 5% mais leves, módulo eletrônico 40% mais rápido, óleo 0W20 de baixíssima viscosidade e anéis de baixo atrito. Todo o motor foi repensado para aumentar a eficiência energética, isso explica o fato da potência ter continuado de 98/106 cv @ 6.000 rpm e o torque ter sido mantido em 12,9/13,9 kgfm @ 4.800 rpm. A transmissão automática foi reprogramada e, com isso, aproveita bem mais seu casamento com o motor.

Outros upgrades visando eficiência incluem a troca da direção hidráulica pela elétrica, suspensão mais baixa, pneus com baixa resistência ao rolamento, novos revestimentos e defletores no assoalho e um ganho de 5% na fluidez aerodinâmica. E, se não fosse suficiente, o carro está ainda 32 kg mais leve que sua geração anterior, uma ótima notícia. Com todos esses detalhes, o modelo se tornou 18% mais econômico. Em nossos testes, fez 10,8 km/l com gasolina na cidade e 15,7 km/l na estrada, com ar-condicionado sempre ligado.

Ônix 3 blogVisual moderno

Visualmente o Onix também evoluiu, especialmente na dianteira que agora tem perfil mais harmônico e requintado, especialmente pelos faróis que agora trazem feixe de LED (mas continuam sendo de parábola simples). Seu visual dianteiro lembra o Cruze, e combina com o novo visual da família Chevrolet. Na lateral, nenhuma mudança exceto pela altura de rodagem menor e, na traseira, poucas mudanças pontuais, com destaque para o emblema ECO que ressalta o consumo comedido do carro.

Do lado de dentro, a principal mudança é a nova central multimídia My Link 2, com mais recursos do que sua antecessora. Há também sistema de concierge On Star, item presente agora em todos os carros da linha. O carro bem que merecia coluna de direção regulável em profundidade, bancos com posição mais baixa e talvez ar-condicionado digital e outros mimos de conforto. Alguns de seus concorrentes oferecem, e cairiam bem em um carro de R$ 61.490. ESP e mais airbags também não vieram na linha 2017, uma pena.

Na cidade a rodagem do carro continua confortável, mesmo com a suspensão mais baixa. Suas reações são suaves, mesmo nas vias mais sofridas. O nível de ruído dentro do carro é aceitável, enquanto o motor 1.4 se vale das boas relações do câmbio automático para render bem no caos urbano. A direção elétrica foi um ótimo adianto, e ajuda também na tarefa de manobrar o carro, que conta apenas com sensores de estacionamento na traseira, sem câmera de ré ou outros recursos.

Motor redondo

Já no circuito rodoviário o motor mostra seu ganho em suavidade ao permitir altos giros sem sensação de aspereza excessiva. Trata-se de um motor antigo, com duas válvulas por cilindro, mas ainda assim entrega algum desempenho ao compacto. Não é um carro com sobra de força, mas tem um desempenho digno. Sua dinâmica é segura, com tendência dianteira, enquanto os freios possuem acionamento suave pelo pedal. Porém, quanto aos freios, notamos uma instabilidade da traseira ao frear em superfície com baixa aderência. De qualquer forma, em situações normais a frenagem é equilibrada.

No geral, trata-se de um carro bom e honesto, com boas qualidades para ocupar a liderança do mercado. Poderia ser melhor, é verdade, mas nesse ponto acaba sendo vítima do clássico “em time que está ganhando não se mexe”. Ele recebeu boas atualizações para a linha 2017, mas nada além do necessário para se manter no topo. Uma pena, pois tem potencial.

Confira nosso vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=HSsw3Hds6Sw

Ficha Técnica:

Motor/Performance
Motorização: 1.4
Alimentação: Injeção multi ponto
Combustível: Álcool / Gasolina
Potência (cv): 106.0 / 98.0
Cilindrada (cm3): 1.389
Torque (Kgf.m): 13,9 / 13,0
Velocidade Máxima (Km/h): 171
Tempo 0-100 (Km/h): 12.0

Dimensões
Altura (mm): 1476
Largura (mm): 1705
Comprimento (mm) : 3933
Entre-eixos (mm): 2528
Peso (kg): 1074
Tanque (L): 54.0
Porta-malas (L): 280
Ocupantes: 5

Mecânica
Câmbio: Automática com modo manual de 6 marchas
Tração: Dianteira
Direção: Elétrica
Suspensão dianteira: Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.
Suspensão traseira: Suspensão tipo eixo de torção, roda tipo semi-independente e molas helicoidal.
Freios: Dois freios à disco com dois discos ventilados.

*Dados do fabricante

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *