Não deixe o sono te dominar ao volante

Evite ao máximo dirigir enquanto estiver com sono. Seja no dia a dia, quando precisar fazer uma viagem ou quando não se sentir disposto o suficiente. Os acidentes de trânsito provocam cerca de 1,24 milhão de mortes por ano no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, o sono e o cansaço representam 60% das tragédias causadas nas rodovias, segundo dado da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET). A sonolência ao volante já é a segunda maior causa de acidentes nas rodovias brasileiras.

Young troubled driver having problem with car

Young troubled driver having problem with car

O corpo dá sinais de cansaço e quando o sono está chegando. Geralmente, a pessoa sonolenta apresenta dificuldade de concentração, fica mais inquieta que o normal para tentar vencer o sono e boceja muitas vezes em pouco tempo. O problema, é que esses sintomas acarretam situações que podem levar a ocorrência de acidentes, como distúrbios visuais e perda de firmeza nos braços. Especialistas indicam que quando o motorista sentir que está ficando com sono, ele deve procurar parar algum local seguro, caminhar um pouco e beber água e café em quantidades moderadas. Se o sono for incontrolável, p melhor mesmo é procurar um local para descansar. O importante é perceber o perigo e evitar acidentes.

Como o ato de dirigir em si pode ser algo monótono e causar sonolência, apresentamos algumas dicas para os motoristas se cuidarem na estrada:

– Durma o suficiente para descansar e pegar a estrada sem estar fadigado ou com sono. Para assumir o volante é preciso estar disposto e bem acordado.

– Não faça uso de energéticos à noite. Ele atrapalha o sono e pode causar uma inversão de horários no organismo.

– Evite pegar no volante de madrugada, entre 0h e 8h da manhã, e logo depois do almoço. Nesses horários, o corpo sente mais sonolência.

Hoje em dia, já estão disponíveis tecnologias que ajudam o motorista a perceber o momento que ele precisa parar, como o sensor de fadiga, que identifica sinais de cansaço e emite um alerta sonoro e visual pedindo para parar o carro e descansar; e se a recomendação não for atendida, ele dispara um alarme. Porém, ainda que os dispositivos sejam eficientes, o motorista deve ser o primeiro a perceber quando algo não está indo bem com ele, pois é o maior responsável por sua segurança.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *