Carro conectado ‘entrega’ motorista que fugiu de acidente nos EUA

Após acidente, sistema ligou automaticamente para atendimento de emergência, mas a motorista negou que tinha batido em outro carro.

Cathy Bernstein foi presa depois de negar ter batida em outro carro durante chamada de emergência feita pelo próprio carro (Foto: Divulgação/Port St. Lucie DP)
Cathy Bernstein foi presa depois de negar ter batida em outro carro durante chamada de emergência feita pelo próprio carro (Foto: Divulgação/Port St. Lucie DP)

Uma motorista foi “denunciada” pelo próprio carro, depois de fugir de um acidente na útlima semana em Port St. Lucie, na Flórida (EUA). Ela bateu na traseira de um outro veículo, o que acionou um sistema de chamada de emergência.

A tecnologia, que equipa modelos também no Brasil, ligou automaticamente para o serviço de atendimento de emergência quando o carro se envolve em um acidente, por meio de um telefone emparelhado por Bluetooth.

No entanto, em conversa com a atendente, a condutora Cathy Bernstein, de 57 anos, negou que tinha se envolvido em um acidente. No áudio, disponibilizado pela emissora WPBF (em inglês), é possível notar que Cathy fica em silêncio por alguns momentos sem saber o que falar.

“Eu não bati em ninguém”, diz a motorista. “Então por que seu carro nos ligou dizendo que ele tinha sofrido um acidente?”, pergunta a atendente do 911. “Ele não faz isso sem ter um motivo. Você deixou o local de um acidente? – Não, eu nunca faria isto”.

Carro de Cathy atingiu a traseira de outro veículo (Foto: Divulgação/Port St. Lucie DP)
Carro de Cathy atingiu a traseira de outro veículo
(Foto: Divulgação/Port St. Lucie DP)

Desconfiada, a atendente faz mais perguntas para tentar entender o que aconteceu, mas Cathy segue negando e diz apenas que uma pessoa parou na frente dela. Ela também afirma não ter ingerido álcool e que estava a caminho de casa.

Enquanto isso, a vítima que estava no carro da frente, Anna Preston, ligou para a polícia e foi levada a um hospital com dores nas costas. Uma outra testemunha também relatou o acidente.

Policiais foram até a casa de Cathy e encontraram o carro com a frente amassada e com lascas de tinta prateada (cor do veículo de Preston), mas ela alegou que tinha batido em uma árvore.

Só depois de um interrogatório, Cathy admitiu que tinha se envolvido em um acidente antes e estava fugindo, quando acertou a traseira de outro veículo. Ela também reconheceu ter mentido para a atendente do 911. Segundo a polícia, a acusada foi detida e liberada após pagamento de fiança.

Sistema sync do Ka (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Sistema Sync do Ford Ka (Foto: Marcelo Brandt/G1)

Carro conectado
No ano passado, a Ford foi a primeira a incluir a tecnologia de chamada de emergência em carros “populares”. Para funcionar, o sistema deve estar conectado com o celular de um dos ocupantes do veículo, já que realiza a chamada através do aparelho.

O sistema só é acionado quando os airbags são deflagrados e/ou corte da bomba de combustível. Vale lembrar que, para a chamada ser realizada, é preciso ter sinal do telefone e ele estar conectado com o multimídia via Bluetooth.

A localização do veículo pela central do Samu (192) é feita através de uma antena GPS instalada no veículo. O condutor também tem a opção de cancelar a chamada antes dela ser realizada.

Mais recentemente, a Chevrolet trouxe ao Brasil o sistema OnStar, que, além de chamadas de emergência, serve como um assistente pessoal para encontrar restaurantes, hotéis, rotas de tráfego e até comprar passagem aérea.

A Volvo foi a pioneira deste tipo de serviço no Brasil. Desde 2012, a marca sueca oferece o On Call, que também possui serviço de rastreamento, telemetria, bloqueio e ligação remotos.

FONTEka-sync

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *