Medo de dirigir é comum e dificulta a vida de parcela da população

Conheça as causas, os sintomas e a melhor forma de tratar do caso

 

Só de pensar em entrar no carro, pegar no volante e girar a chave na ignição, já te dá calafrios? E nos momentos nos quais realmente precisa dirigir, você fica nervoso e ansioso, sua frio e fica com receios que não tem normalmente? Então você provavelmente faz parte dos 7% a 8% da população mundial que tem medo de dirigir, de acordo com o Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Parece uma porcentagem pequena, mas é um receio comum que atrapalha muita gente.

dunlop_medo1 (Foto: Divulgação Dunlop)

Os sintomas não são difíceis de perceber. Desde alterações no humor ao ter que conduzir, passando por sinais físicos de nervosismo e desconforto, e até na preferência por qualquer outro meio de locomoção que não seja conduzindo. As causas deste medo podem ser várias: excesso de auto crítica, de perfeccionismo e de cobranças; traumas devido a algum acidente; falta de prática; muitas reprovações na prova de habilitação; receio de causar acidentes e ferir a si mesmo ou aos outros; temor de avaliações negativas e outras questões sociais, como atrapalhar o trânsito ou fazer manobras complicadas.

Dirigir requer atenção e execução de muitos movimentos simultâneos. Para algumas pessoas, esta tarefa pode ser simples e automática, mas outras a consideram extremamente complicada. Psicólogos afirmam que quem tem medo da direção normalmente é perfeccionista, sensível e pouco aberto a críticas. Assim, quando tentam dirigir acompanhadas e são criticadas, podem acabar desenvolvendo um bloqueio. E, no caso da direção, cada um leva seu tempo para aprender e a prática leva à perfeição, sendo que a falta dela pode agravar ainda mais um problema que seria simples.

dunlop_medo2 (Foto: Divulgação Dunlop)

A cobrança é um grande agravante, seja vinda dos outros ou de si próprio. Algumas pessoas consideram não ter senso de direção ou de espaço, e ficam nervosos ao circular em vias estreitas e com muitos carros por perto. Outras têm um medo completamente instintivo, psicológico, que pode acarretar em bloqueio mental quando expostos a essa situação Casos assim, normalmente, são tratados como amaxofobia, o termo técnico para o pavor de dirigir. É muito importante que, em todos os casos, o acompanhante – seja ele um parente ou mesmo o instrutor de direção – seja paciente e ajude o condutor a se manter tranquilo e confiante. Assim ele poderá começar a ultrapassar barreiras.

Ter habilitação e carro disponível, mas preferir utilizar o transporte público parece estranho, mas é comum. O medo, muitas vezes, pode ter um fundo psicológico e necessitar de acompanhamento e tratamento. Em casos mais leves, existem muitos cursos e autoescolas especializadas em habilitados que oferecem aulas práticas, acompanhamento psicológico e terapias em grupo. Com o auxílio de profissionais e muita paciência, este medo pode ir desaparecendo, o que vai facilitar muito a vida das pessoas.

fonte

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *