Multas por excesso de velocidade aumentam 43% no primeiro semestre

Excesso de velocidadeA alta velocidade em ruas e rodovias no Estado do Paraná foi responsável por 665 mil infrações de trânsito no primeiro semestre de 2015. O número é 43% maior em relação ao mesmo período do ano passado, quando 463 mil motoristas foram flagrados em velocidade acima da permitida. O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) alerta sobre os riscos do motorista não respeitar os limites estabelecidos.

“O excesso de velocidade lidera o ranking de infrações mais cometidas no Paraná, com 38% do total de multas só em 2015. A maioria dos acidentes é provocada pelo excesso de velocidade e ao respeitar o limite estabelecido para a via, o condutor reduz em um terço a chance de se envolver em colisões”, alerta o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

A situação que ocorre com maior frequência é transitar com velocidade superior à máxima permitida em até 20%. A infração representou 30% do total das multas nos seis primeiros meses, em 2013 e 2014 e, nesse ano, chegou a 38% das 1.732.528 infrações registradas no primeiro semestre, permanecendo como recordista.

A segunda mais recorrente entre os paranaenses é transitar com a velocidade superior à máxima em mais de 20% até 50%, uma infração considerada grave, com cinco pontos na Carteira de Habilitação e multa de R$ 127,69.

A terceira possibilidade – que gera suspensão direta da Carteira Nacional de Habilitação – é dirigir com velocidade superior à máxima permitida em mais de 50%, uma considerada gravíssima, com sete pontos na CNH e multa de R$ 574,62. Nos seis primeiros meses de 2015 foram registradas 16.568 infrações desta natureza, número 11% maior na comparação com 2014, quando 14.913 infrações foram cometidas.

“O excesso de velocidade causa os acidentes de maior gravidade. Por isso, mesmo com a fiscalização com o uso de radares e o policiamento nas ruas, mantemos e intensificamos nossas campanhas educativas para conscientizar os motoristas que ultrapassar a velocidade permitida traz sérias consequências como, infelizmente, mais mortes no trânsito”, explica o diretor-geral do Detran.

Direção defensiva

 

O Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) orienta sobre os cuidados com os pneus. Se estiverem gastos ou mal calibrados há menor aderência ao solo e a possibilidade de derrapagem aumenta em uma situação de frenagem brusca.

Para evitar sustos, o motorista deve calibrá-los a cada 15 dias a calibragem, de preferência com os pneus ainda frios, com o veículo parado há pelo menos uma hora ou sem que tenha rodado mais do que três quilômetros. Além de dar mais segurança à direção, a calibragem recomendada pelo fabricante evita que o consumo de combustível aumente.

Os motociclistas, em asfalto plano e seco, devem usar os freios dianteiro e traseiro ao mesmo tempo. Ao usar apenas o freio traseiro a distância de frenagem pode triplicar.

 

Com informações da Agência Estadual de Notícias

FONTE

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *